Archive | Janeiro 2013

Poeta do Mês

viagem

A secreta viagem

No barco sem ninguém, anónimo e vazio,
ficámos nós os dois, parados, de mão dada…
Como podem só dois governar um navio?
Melhor é desistir e não fazermos nada!

Sem um gesto sequer, de súbito esculpidos,
tornamo-nos reais, e de madeira, à proa…
Que figuras de lenda! Olhos vagos, perdidos…
Por entre nossas mãos, o verde mar se escoa…

Aparentes senhores de um barco abandonado,
nós olhamos, sem ver, a longínqua miragem…
Aonde iremos ter? — Com frutos e pecado,
se justifica, enflora, a secreta viagem!

Agora sei que és tu quem me fora indicada.
O resto passa, passa… alheio aos meus sentidos.
Desfeitos num rochedo ou salvos na enseada,
a eternidade é nossa, em madeira esculpidos!

David Mourão-Ferreira

Atenção:
Como é já habitual, os alunos poderão encontrar na biblioteca da escola o folheto em formato papel.

Anúncios

Poeta do Mês

Poeta do Mês (Fevereiro)

Poeta do Mês (Fevereiro)

Nasceu a 24 de Fevereiro de 1927 e faleceu em 16 de Junho de 1996, foi um escritor e poeta lisboeta.
Licenciado em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Lisboa, em 1951, onde mais tarde foi professor em 1957, destacou-se como um dos grandes poetas do século XX. Na sua obra, são famosos alguns dos poemas que compôs para a voz de Amália Rodrigues, como Sombra, Maria Lisboa, Nome de Rua, Fado Peniche e sobretudo Barco Negro, entre outros.

Poeta do mês

Cromo

andamos pelo mundo
experimentando a morte
dos brancos cabelos das palavras
atravessamos a vida com o nome do medo
e o consolo dalgum vinho que nos sustém
a urgência de escrever
não se sabe para quem

o fogo a seiva das plantas eivada de astros
a vida policopiada e distribuída assim
através da língua… gratuitamente
o amargo sabor deste país contaminado
as manchas de tinta na boca ferida dos tigres de papel

enquanto durmo à velocidade dos pipelines
esboço cromos para uma colecção de sonhos lunares
e ao acordar… a incoerente cidade odeia
quem deveria amar

o tempo escoa-se na música silente deste mar
ah meu amigo… como invejo essa tarde de fogo
em que apetecia morrer e voltar

Al Berto, in ‘Salsugem’

Atenção:

Como é já habitual, os alunos poderão encontrar na biblioteca da escola o folheto em formato papel.

Poeta do mês

Poetas portugueses

Poetas portugueses

Al Berto, pseudónimo de Alberto Raposo Pidwell Tavares, nasceu em Coimbra a 11 de Janeiro de 1948 e faleceu em Lisboa a 13 de Junho de 1997. Foi poeta, pintor, editor e animador cultural. Nascido no seio de uma família da alta burguesia, passa toda a infância e adolescência em Sines até que a família decide enviá-lo para o estabelecimento de ensino artístico Escola António Arroio, em Lisboa.
Em 1967 foi para a Bélgica onde estudou pintura em Bruxelas e em 1971 decide abandonar o curso de pintura e dedicar-se exclusivamente à escrita.

Concurso fotográfico

Concurso de fotografia (temas da escola) promovido pela Associação de Alunos da EPADD.

Concurso de fotografia (temas da escola) promovido pela Associação de Alunos da EPADD.

https://pt-pt.facebook.com/AssociacaoDeEstudantesEpaddPaia#!/photo.php?fbid=520372724661157&set=a.494310440600719.120325.494286120603151&type=1&theater

Consultar o regulamento em:

https://pt-pt.facebook.com/AssociacaoDeEstudantesEpaddPaia#!/photo.php?fbid=520379221327174&set=a.494310440600719.120325.494286120603151&type=1&theater